F

 

 

FAETONTE (g) Filho do Sol e de Climena. Obteve de seu pai licença para guiar, durante um dia, o carro do Sol. Tão desastradamente se houve, que ia abrasando o universo. Júpiter, irado, fulminou-o precipitando-o no Eridano.

 

FAMA (A) (r) Divindade alegórica  de gregos e romanos, tem cem olhos continuamente abertos e cem bocas incansáveis. Sempre agitada, voa dia e noite de uma extremo ao outro da Terra, divulgando o que sabe e o que ignora: o bem e o mal, a verdade e a mentira.

 

FAON (g) Bateleiro em Metilene, na ilha de Lesbos, não titubeou  em transportar na sua barca uma velha repelente e ainda lhe forneceu dinheiro para que prosseguisse viagem. Essa velha porém, era Vênus disfarçada. A deusa, comovida, deu-lhe um vaso de perfume e foi suficiente que o passasse no rosto para que se transformasse no mais belo dos homens. Safo até então insensível, sentiu por ele um afeto imenso.

 

FAUNO (r) Filho de Pico e da Ninfa Canente, tornou-se agradável aos habitantes do Lácio por seu valor e profunda sabedoria. Protetor da agricultura, mereceu, depois  de sua morte, ser associado aos deuses campestres e com eles obter templos e altares. É representado como Pã, com pernas e pés de cabrito, a cabeça armada de chifres, nariz achatado e barba em desordem.

 

FAUNOS (OS) (g) Deuses campestres dos latinos; presidiam à criação do gado, defendiam-no contra os lobos e protegiam a agricultura.

 

FEBE (g) Nome com que no céu se designava Diana.

 

FEBO (r) Uma designações de Apolo.

 

FEDRA (g) Filha do rei Minos, casou-se com Teseu. Apaixonada por Hipólito, seu enteado, suicidou-se ao ver-se repelida; antes, porém, escreveu  uma carta a Teseu, em que atribuía sua resolução ao fato de haver sido desrespeitada por Hipólito. Teseu desterrou então seu filho, o qual foi esfacelado por um monstro marinho.

 

FÊNIO (g) Músico que se achava no palácio de Ulisses, quando este exterminou os pretendentes de sua esposa, Penélope. Fênio, foi poupado. V. Ulisses

 

FÊNIX (g) Ave fabulosa que, segundo  as lendas antigas, era única na sua espécie. Vivia muitos séculos no meio dos desertos da Arábia. Quando sentia avizinhar-se a morte, construía um ninho de plantas aromáticas, que os raios do Sol incendiavam, e nele se deixava consumir. Da medula dos ossos nascia então um verme que se transformava em outra Fênix.

 

FÍDIAS (g) O mais célebre escultor da Antigüidade. As suas obras mais célebres são o Júpiter de Olímpia e a Minerva criselefantina do Partenon.

 

FILEMON (g) Esposo de Baucis. habitavam uma aldeia da Frígia quando Júpiter e Mercúrio, que visitavam essa região, só acharam hospitalidade na casa de Filemon que ignorava o caráter divino dos viajantes. Júpiter cincendiou toda a região e converteu a cabana dos esposos num templo de que eles foram os ministros. Filemon e Baucis chegaram à extrema velhice, amando-se sempre, e foram metamorfoseados; Filemon em carvalho e Baucis em Tília..

 

FILOMELA (g) Filha de Pandion, rei de Atenas, e irmã de Procne. Foi vítima da brutalidade do rei da Trácia, Tereu, seu cunhado, que em seguida lhe cortou a língua para que não revelasse o crime, e a encarcerou. Filomela conseguiu mandar à irmã uma tela onde pintara a sua aventura, e as duas irmãs, para se vingarem, mataram Itis, filho de Tereu, e deram-no a comer ao pai numa refeição. Escaparam ao furor de Tereu e foram metamorfoseadas: Filomela em rouxinol e Procne, em andorinha. Daí o nome poético de filomela, dado ao rouxinol.

 

FILOTETES (g) Um dos mais ilustres guerreiros gregos do cerco de Tróia a quem Hércules, quando morreu, deixou suas armas.

 

FINEU (g) Rei Bitínia, casou segunda núpcia com uma das filhas de Dárdamo, chamada Idea. Esta, querendo livrar-se dos enteados, disse a Fineu que seus filhos conspiravam contra sua vida. Fineu, crédulo, mandou vasar os olhos dos filhos e expulsou-os do palácio. Os deuses castigaram Fineu, cegando-o por sua vez, e ordenaram às Harpias que o perseguissem implacavelmente. V. Harpias.

 

FLÉGIAS (g) Rei de Orcômeno e pai de Ixion.

 

FLORA (r) Divindade dos romanos, desposou Zéfiro, que lhe concedeu uma juventude perpétua e o supremo cuidado dos jardins e das flores. As festas desta deusa eram chamadas florais e duravam seis dias. Durante a noite, à luz de tochas, em meio de toda a espécie de desordens.

 

FLORAIS (JOGOS) (r) V. Flora.

 

FOBOS (g) O Medo, filho de Ares e Afrodite. A Astronomia deu seu nome a um dos satélites de Marte.

 

FORBAS (g) Pastor dos rebanhos de Políbio, rei de Corinto, encontrou Édipo, abandonado na floresta, e entregou-o a Políbio o qual encarregou sua esposa Peribea de criá-lo. V. Édipo.

 

FORCIS ou FORCO (g) Deus do mar, filho de Netuno, gerou alguns dos monstros fabulosos e principalmente as Górgonas. V. Górgonas.

 

FORTUNA (A) (g) Deusa onipotente, filha de Júpiter, era a dispensadora dos bens e dos males, dos prazeres e dos sofrimentos, da riqueza e da pobreza. Representa-se a Fortuna com os olhos vendados e a cornucópia da abundância na mão, ou então sobre uma esfera que gira velozmente.

 

FRIJO (g) Antepassado de Jasão. Ao morrer, deixou em terras da Cólchida um velocino de ouro, cuja conquista proporcionou a Jasão glória e riquezas.

 

FÚRIAS (AS) (g) Erínias ou Eumênides, deusas dos romanos. Filhas da Terra, viviam no Tártaro e tinham por missão punir os crimes dos homens.  Representam-nas com os cabelos entrelaçados de serpentes, com um facho aceso numa das mãos e na outra um punhal. Chamavam-se: Tisífone, Alecto e Megera.