G

 

 

GALATÉIA (g) Ninfa amada por Polifemo, ao qual preferiu pastor Acis; o gigante surpreendeu-os e esmagou o seu rival sob um rochedo.

 

GANIMEDES (g) Príncipe troiano filho de Tros e da ninfa Caliroé. Júpiter, metamorfoseado em Águia, arrebatou-o para fazer dele o escanção dos deuses.

 

GELANOR (g) Rei de Argos, recebeu Danau, rei do Egito, com grandes honras. Aproveitando-se das lutas intestinas que devoravam Argos, Danau fez-se coroar rei. Tendo casado suas cinqüenta filhas com os cinqüenta filhos de seu irmão Egito, lembrou-se tardiamente de que um oráculo o havia prevenido de que desconfiasse de seus genros. Armou então suas filhas de punhais, e fez-lhes jurar que a noite de bodas degolariam seus maridos. Uma, porém, deixou de cumprir seu juramento: Hipernestra Linseu, seu esposo fugiu do palácio e dirigiu-se para Argólida. Hipernestra, a quem seu pai obrigou a comparecer a juízo, ia ser condenada, mas o povo revoltou-se e resistiu-a a seu esposo.

 

GÊNIO (g) Divindade de gregos e romanos, Presidia ao nascimento de cada mortal, vivia unido a ele durante o curso de sua vida, conhecia todos os seus pensamento e o guiava em todos o seus atos. Cada homem dois gênios: um bom que o inclinava para o bem e um mal que o levava para o mal. Cada país, cada província, cada cidade, cada casa tinha seu gênio particular. Em Roma, adorava-se o gênio público, quer dizer, a divindade tutelar do império.

 

GERION (g) Rei Bética era um gigante constituído por três corpos e que possuía grandes rebanhos guardados dia e noite por um cão de sete cabeças. Hércules recebeu ordem de arrebatar-lhe os rebanhos e conduzi-los à Grécia, o que fez, secundado por Iolas.

 

GIGANTES (OS) (g) Homens de colossal estatura, alguns dos quais tinham cinqüenta cabeças e cem braços e que tentaram escalar os céus, sendo derrotados pelos deuses.

 

GIGES (g) Cortesão de um rei da Lídia, chamado Gandaulo, distingui-se pela magnificência dos presentes, que a cada ano mandava ao templo de Delfos. Tendo descido ao fundo de um abismo, encontrou um esqueleto que trazia num dos dedos um anel, do qual se apoderou e que tinha a virtude de fazer o seu portador invisível. Graças a esse talismã, Giges penetrou no aposento do rei e o matou, em seguida desposou a rainha viúva, e subiu ao trono da Lídia. As riquezas de Giges como as de Creso eram proverbiaís entre os gregos.

 

GLAUCA (g) Uma das Nereidas. V.Nereidas.

 

GLAUCO (g) Pescador da Beócia, observou que os peixes que lançava à praia tomavam novo alento e se atiravam ao mar. Suspeitando que a erva que cobria a margem tinha propriedades extraordinárias, dela comeu a repentinamente, sentiu grande desejo de viver nas águas, então nelas atirou convertendo-se num deus marinho.

 

GÓRGONAS (g) Eram filhas de Forcis ou Forco. Entre os monstros fabulosos que lhes devem a vida, contam-se as Górgonas: Esteno, Euriale e Medusa; estas ao invés de cabelos tinham serpentes; as mãos eram de ferro as asas de ouro, e o corpo apresentava-se coberto de escamas.

 

GRAÇAS (AS) (g) Companheiras habituais de Vênus e Cupido, eram três Aglai, Talia e Eurofosina. Jovens formosas, davam-se as mãos como se preparassem para dançar. Presidiam às boas ações e dispensavam aos homens amabilidades, jovialidade e outras qualidades que constituem o encanto da vida.