H

 

 

HADES (g) Deus dos Infernos. Designa também  a própria região infernal.

 

HAMADRÍADES (g) Designação que tomavam as Dríades. Eram ninfas que viviam incorporadas às árvores e com elas se identificavam; com elas nascem e morrem. O machado que corta o tronco fere a Hamadríade e a faz sofrer. As Dríades, ao contrário, são imortais e viviam desligadas das árvores e por elas protegidas. Esta fábula das Dríades foi, sem dúvida, inventada para impedir a destruição imprudente os bosques. Entre os romanos nenhum proprietário podia cortar uma árvore sem que antes dos ministros da religião declarassem que as ninfas o haviam abandonado. V. Dríades.

 

HARMONIA (r) V. Hermione.

 

HARPIAS (g) Filhas de Netuno, eram monstros alados com rosto de velha e corpo de abutre. Desprendiam um cheiro infecto e corrompiam instantaneamente todos os alimentos que tocavam. Eram muito numerosas; delas, porém, só se conhece o nome de três: Ocípeta, Aelo e Celeno.

 

HARPÓCRATES (g) Que entre os egípcios se chamavam Horus, era uma criança que os gregos elevaram à categoria de deus do silêncio. Era representado sob a figura de um jovem em pé com o dedo sobre os lábios, como que a impor silêncio e que vestia uma pele do lobo coberta de olhos e orelhas, significando que devemos ver e ouvir tudo, porém falar pouco.

 

HEBE (g) Filha de Vênus e deusa da juventude, foi dada por esposa a Hércules. Fora encarregada por Júpiter para servir aos deuses o néctar e a ambrósia, até que foi substituída por Ganimedes.

 

HÉCATE (g) Um dos nomes correspondentes às três formas de Diana que os antigos chamavam: Febe, no céu (a Lua); Diana na terra e Hécate nos infernos. Nos infernos era também conhecida por Prosérpina. Sob a denominação de Hécate, presidia os atos de magia e de encantamento. Em honra a Hécate celebraram-se em Atenas festas chamadas ecatésias, durante as quais, os ricos da cidade ofereciam, nas encruzilhadas, uma comida pública chamada de Hécate, destinada principalmente aos pobres da localidade e aos viajantes indigentes.

 

HÉCUBA (g) Mulher de Príamo. Durante a guerra de Tróia morreram-lhe quase todos os dezenove filhos que tinha e viu trucidado seu esposo Príamo, sua filha Polixena e seu neto Astianax. V. Polimnéstor.

 

HEFESTOS (g) Filho de Zeus (Júpiter) e de Hera (Juno), era o deus do fogo, conhecido entre os romanos como Vulcano.

 

HEITOR (g) O mais valente dos chefes troianos, filho de Príamo e de Hécuba e esposo de Andrômaca. Matou Pátroclo e foi morto por Aquiles.

 

HELENA (g) Princesa grega, célebre por sua beleza. Filha de Leda, irmã de Castor e Pólux, mulher de Menelau, foi raptada por Páris, o que determinou a expedição dos gregos contra Tróia.

 

HELENO (g) Era hábil adivinho troiano, filho de Príamo e de Hécuba.

 

HÉLIO (g) O deus-Sol, filho dos Titãs Hipérion e Téia, irmão de Eos, deusa da Aurora e de Selene (a Lua). Casou-se com Perse filha de Oceano e Tétis.

 

HEMERA (g) Filha do Érebo e de NYX (a Noite), personificava o Dia.

 

HEMON (g) Filho de Creonte, amava Antígona. Quando esta se suicidou, ele acompanhou-lhe o ato, dando-se a morte a punhaladas.

 

HÉRACLES (g) Filho de Zeus e Alcmena, era o mais popular dos deuses gregos. Foi incumbido, por Euristeu, de 12 trabalhos cujas execuções constituíram aventuras fantásticas. Conhecido pelos romanos como Hércules.

 

HERÁCLIDAS (g) Dinastias gregas do Peloponeso, de Corinto, da Lídia e da Macedônia que pretendiam descender de Hércules ou Heracles. Os Heráclidas do Peloponeso são mais célebres; unidos aos Darios, expulsaram os Acaios do Sul da Grécia.

 

HÉRCULES (r) O mais célebre dos Heróis da Mitologia grega, filho de Júpiter e de Alcmena. Juno, tomada de ira, mandou duas serpentes para o devorarem no berço; a criança, porém, afogou-as nos braços. Quando crescido, executou, sob as ordens de seu irmão Euristeu, as doze empresas. perigosas, conhecidas pelo doze trabalhos de Hércules:

1º. Afogou o Leão de Nemea;

2º. Matou a Hidra de Lerna,

3º. Capturou vivo o javali de Eurimanto;

4º. Alcançou na carreira a corça dos pés de bronze;

5º. Matou a flechadas as aves do Lago Estinfale;

6º. Subjugou o touro da ilha de Creta, mandado por Netuno contra Minos;

7º Matou Diomedes, rei da Trácia que alimentava seus cavalos com carne humana;

8º venceu as Amazonas;

9º Limpou as estrebarias de Augias, fazendo passar por elas o rio Alfeu;

10º. Combateu e matou Gerionte, cujos rebanhos se apoderou;

11º Roubou os pomos de ouro do jardim das Hespérides;

12º Finalmente livrou Teseu dos Infernos.

Além destas praticou, ainda, inúmeras outras proezas; separou os montes Calpe e Abela (chamados depois colunas de Hércules), soltou Prometeu, encarcerado sobre o Cáucaso, e matou o centauro Nesso, que queria raptar Dejanira, sua mulher. Esta última vitória custou-lhe a morte. Antes de expirar o centauro dera a Dejanira a sua túnica manchada de sangue envenenado, dizendo que seria para ela um talismã de fidelidade. Dejanira mandou o fatal presente a seu esposo. Logo que Hércules vestiu a túnica, sentiu-se atormentado de dores e, não podendo suportá-las, ergueu uma pira no monte Eta e nela se fez consumir pelas chamas. Filotetes, seu amigo, herdou do herói o arco e as flechas que, por terem sido embebidas no sangue da hidra de Lerna, faziam feridas incuráveis.

 

HERMES (g) ou MERCÚRIO (r) Filho de Júpiter, mensageiro dos deuses, e deus da eloqüência, do comércio e dos ladrões. São atributos seus, o galo e a tartaruga, significando o galo a vigilância, tão necessária no cumprimento de diversas e importantes funções; a tartaruga lembra que Mercúrio foi quem inventou a lira que a princípio era feita com placas desse réptil.

 

HERMIONE (g) Filha de Vênus e Marte, desposou Cadmo, do qual teve quatro filhas: Ino, Agave, Autonoe e Semele.

 

HERO (g) V. Leandro.

 

HEROFILA (g) V. Deifobéia.

 

HESÍODO (g) Poeta épico grego, considerado o criador da poesia didática. Viveu por volta do século VIII a.C. Além da obra "O trabalho dos Dias", escreveu "Teogonia", obra baseada na compilação, análise e ordenação de tradições místicas, em que procura estabelecer a genealogia dos deuses.

 

HESIONE (g) Filha de Laomedonte fora escolhida em sorteio para ser sacrificada a um monstro saído do mar, por ordem de Netuno. A princesa esperava a morte, atada à beira do mar, quando Hércules ali desembarcou com os Argonautas. Hércules rompeu suas cadeias e destruiu o monstro, tendo para isso que penetrar-lhe pela boca até o fundo das entranhas, onde permaneceu três dias, até o fundo das entranhas, onde permaneceu três dias até que se esgotasse o sangue do monstro.

 

HESPÉRIDES (g) As três filhas de Atlas. Possuíam um jardim, cujas árvores produziam frutos de ouro que estavam guardados por um dragão de cem cabeças. Hércules entrou no jardim maravilhoso, matou o dragão e apoderou-se dos preciosos pomos.

 

 

HÉSTIA (g) Divindade grega do lar, a Vesta dos Latinos.

 

HÍADES (g) Filhas de Atlas e Etra, eram sete com as Hespérides. Desesperadas pela morte do irmão Hias, devorado por uma leoa, choraram-no durante muitos anos, até que os deuses movidos de compaixão as transformaram em estrelas chuvosas.

 

HIAS (g) V. Híades.

 

HIDRA DE LERNA (g) Serpente que vivia em Lerna, região da Argólida. Tinha sete cabeças, ou nove, segundo várias versões, e seu hálito venenoso era fatal a quem dela se aproximasse.

 

HILAS (g) Um dos guerreiros que, sob o comando de Jasão, compunham o grupo dos Argonautas.

 

HILOS (g) Filho de Hércules e Dejanira, que segundo alguns derrotou Euristeu, na Argólida.

 

HIMENEU (g) Filho de Vênus, presidia aos casamentos e às festas núpcias. Era apresentado pela figura de um jovem vestido cuidadosamente coroado de rosas e segurando na mão direita uma tocha. Durante as cerimônias repetiam em coro: "Himeneu! Himeneu!" Ao oferecer-lhe sacrifícios arrancavam o fel das entranhas dos animais e atiravam-no longe, querendo com isso significar que os esposos devem evitar as discussões que comprometem a paz doméstica.

 

HIPERNESTRA (g) V. Gelanor.

 

HIPODAMIA ou DEIDAMIA (g) Filha de Enomaus rei de Pisa, na Élida, era esposa de Pelops. V. Piritous.

 

HIPÓLITA (g) Rainha das Amazonas, filha de Ares e Otreras. Tinha em seu poder um cinto, dado por seu pai, que era insígnia real e símbolo do poder, e que foi conquistado por Hércules.

 

HIPÓLITO (g) Filho de Teseu, amado por Fedra, sua sogra, cujos sentimentos culposos repeliu. Fedra acusou-o então de a haver ultrajado, e Teseu excitou contra ele a cólera de Netuno. Fez este sair das ondas um monstro marinho assustou os cavalos do carro de Hipólito. Este foi por eles arrastado e sucumbiu.

 

HIPOMEDON (g) Um dos sete valorosos capitães que, partidos de Argos, sitiaram Tebas a fim de arrebatar o trono a Etéoclos e entregá-lo a seu irmão Polinício genro de Adrasto, rei de Argos.

 

HIPOMENE (g) Neto de Netuno. Venceu Atalanta na corrida e desposou-a. V. Atalanta.

 

HIPSIPILA (g) Filha do rei de Lenos e que deu guarida aos Argonautas comandados por Jasão quando, surpreendidos por uma tempestade, foram obrigados a procurar refúgio.

 

HOMERO (g) Poeta grego, autor da Ilíada e da Odisséia. Sete cidades reclamam a honra de haver sido o seu berço. A tradição representa-o velho e cego, andando de cidade em cidade a recitar os seus versos; porém, desde as discussões suscitadas especialmente por Vico e Wolf, chegou-se mesmo a contestar a sua existência e a afirmar que a Ilíada e a Odisséia não eram senão um resumo dos cantos mais populares dos antigos Aedos.

 

HORAS (g) Divindades gregas, filhas de Júpiter e de Têmis; acompanhavam os grandes deuses e certos heróis e guardavam as portas do céu. Eram três: Talo, Carpo e Auxo.

 

HORUS (g) Filho de Osiris, era uma divindade egípcia, representada ora por um gavião, ora por um homem com cabeça de gavião.