N

 

 

NÁIADES (AS) (g) Eram ninfas que imperavam sobre os rios, os riachos e as fontes. Viviam nas grutas próximas dos mares, às margens dos córregos, sem desenharem as frescas sombras dos bosques. São representadas por jovens formosas, apoiadas sobre uma urna da qual fui água ou levando na mão uma concha algumas pérolas. Sobre seus altares depositavam-se leite, frutas e flores.

 

NAPÉIAS (g) Assim eram conhecidas as ninfas que governavam as colinas, os bosques e os vales.

 

NARCISO (g) Jovem de rara beleza, era filho do rei Céfiso e da ninfa Liríope. Ao nascer, adivinho Tirésias profetizou que Narciso viveria muito tempo se jamais se desse conta de sua beleza. Um dia viu sua imagem nas águas de um rio e   tomou-se, por ela, de louca paixão. Imóvel dia e noite junto da água, consumiu-se de inanição e melancolia. No lugar onde caiu brotou uma nova flor a que chamaram narciso e foi consagrada a Plutão, Prosérpina e às Eumênides.

 

NÁUPLIO (g) Pai de Palamedes, jurou vingar a morte do filho contra o qual os chefes gregos levantaram a suspeita de traição, durante o cerco de Tróia. Quando após a tomada de Tróia a esquadra grega, de volta, foi fustigada por forte tempestade. Nauplio acendeu durante a noite algumas fogueiras sobre os rochedos que cercavam a ilha de Eubeia, atraindo assim para aquelas paragens os barcos gregos, para ter a satisfação de vê-los esfacelar-se contra os escolhos.

 

NAUSICA (g) Filha de Alcinos rei de Feácios, auxiliou Ulisses quando este, de volta de Tróia, foi atirado por uma tempestade sobre as costas de Corcira.

 

NEFELÉIA (g) Esposa de Atamante, do qual teve um filho, Frixo e uma filha, Heléia (V. Atamante.

 

NÉLEO (g) Rei grego, em cujos domínios Mercúrio ocultou os rebanhos e furtara a Apolo e cuja única testemunha fora o pastor Bato. V. Bato.

 

NÊMESIS ou VINGANÇA (g) Castigava à justiça humana; por exemplo, os ingratos, os orgulhos, os perjuros, os desumanos etc. Seus castigos, se bem que rigorosos, eram justos e ninguém a eles escapava, nem mesmo os reis. Representavam-na com asas como a indicar a rapidez com que ao crime se segue o castigo. Esgrime uma lança e traz a fonte circundada de narcisos. Os gregos rendiam-lhe culto sob as dominações de Adrastéia e Ramnúsia.

 

NEOTOLENO (g) Um das designações de Pirro, filho de Aquiles e de Deidâmia. 

 

NEREIDAS (g) Filhas de Nereu e de Doris, eram em número de cinqüenta, destacando-se entre elas: Tetis, mulher de Peleu e mãe de Aquiles, Galatéia, amante de Acis; Cassiopéia, mãe de Andrômeda; Calipso, rainha de Ogigia; Glauca, Clícia , Aretusa, Cimotoe, Pánope, Espio, Cimoe, e Climene. Os poetas representavam-nas sob a figura de donzelas que cavalgavam cavalos-marinhos e seguravam nas mãos o tridente de Netuno, ora com uma coroa, ora com pequeno delfim. Às vezes representavam-nas com caudas de peixes.

 

NEREU (g) Um dos deuses do mar, desposou Doris, de cujo consórcio nasceram cinqüenta filhas. V. Nereidas.

 

NESSO (g) Centauro que, por haver querido raptar Dejanira mulher de Hércules, foi morto por este com uma flecha impregnada do sangue da hidra de Lerna. Nesso, antes de morrer, deu a sua túnica a Dejanira como um talismã que lhe havia de restituir o amor de seu marido se este lhe fosse infiel. V. Hércules.

 

NESTOR (g) Filho de Néleo, reinou a cidade de Pilos. Contando oitenta anos, Nestor conduziu seus homens na Guerra de Tróia, e, enquanto durou a guerra, foi admirado por sua profunda sabedoria, seus conselhos e sua eloqüência, Por isso dizia Agamenon: "Oxalá tivesse eu dez Nestores no meu exército."

NETUNO (r) Deus do mar, era filho de Saturno e de Cibele. Em sua juventude havia tramado uma conspiração contra Júpiter o qual o expulsou do Olimpoe o relegou à condição de simples mortal. Por essa ocasião foi encarregado por Laomedon de levantar os muros que protegiam Tróia contra a fúria das ondas. Reconciliado com seu irmão, este o encarregou do império dos mares. Procurando esposa, seus olhos fixaram-se em Anfitrite, filha do Oceano. Estas, porém, não correspondeu à sua paixão. A intervenção de um delfim, todavia, abrandou o coração de Anfitrite que por fim anuiu em casar-se com Netuno. Atribuiu-se a Netuno a criação dos cavalos, um dos mais belos presentes que os deuses tenham podido dar aos homens. Todos os povos renderam culto a Netuno e lhe levantaram altares e templos. Os Arúspices lhe ofereciam o fel das vítimas devido à analogia com o sabor amargo das águas do mar. Netuno costuma ser representado por um ancião de peito alentado, coberto de roupagens azuladas. Segura na mão um tridente e serve-lhe de carro uma vasta concha puxada por hipocampos ou cavalos-marinhos. Os tritões que formam seu cortejo anunciam sua presença fazendo soar uma concha que é uma espécie de trombeta que se desdobra em várias curvas, cada vez mais amplas e cujos sons se propagam até os confins do Mundo.

 

NINFAS (g) Divindades femininas menores, eram ligadas aos elementos da Natureza. Oceânides ou Oceânidas eram ninfas do grande Oceano; Nereidas, as do mar; Dríades e hamadríades, as ninfas dos bosques, mais associadas aos carvalhos, enquanto que as Melíades, também dos bosques, estavam ligadas aos freixos; Oréades eram as ninfas das montanhas; Epitotâmides, as dos rios; Náiades, ninfas dos rios lagos e das fontes; Limneidas, dos lagos e pântanos; Potâmides, também dos lagos, das fontes e dos rios; Napéias, ninfas dos vales. As ninfas eram filhas de Júpiter, dotadas de rara beleza e, embora nem todas fossem imortais, permaneciam, contudo, sempre jovens. Possuíam alguns poderes e muitos templos lhes foram erguidos.

 

NÍOBE (g) Filha de Tântalo e mulher de Anfion, rei de Tebas. Tinha sete filhos e sete filhas. Orgulhosa desta progênie, escarneceu de Latona que só tinha dois filhos Apolo e Diana. Estes, para vingarem sua mãe, mataram a flechadas todos os filhos de Níobe. A infeliz mãe  foi metamorfoseada em rochedo. Níobe, é o símbolo do amor materno.

 

NOITE (A)  (r) Filha do Caos, era a mãe do Destino, do Sono e da morte. Os poetas antigos representavam-na coroada de dormideiras, envolta em um véu negro coalhado de estrelas, e em atitude de quem vai correr a vasta extensão dos véus montada num carro. Imolavam-lhe ovelhas negras e sacrificavam-lhe também um galo, porque o canto vibrante a desta ave perturba  a calma das noites.

 

NYX (g) Deusa da noite, filha do Caos, irmã de Érebo, Eros, Géia, Tártaro e outros. V. Noite.