O

 

 

OCASIÃO (A)  (g) Era deusa da oportunidade, isto é, a que dispunha do momento mais favorável para obter êxito em todas as empresas. Representavam-na por uma donzela com um dos pés descansando sobre uma roda que gira rapidamente, enquanto o outro se conserva no ar. Na mão direita segura uma navalha para indicar que, sendo a ocasião fugitiva, é preciso segurá-la e cortar todos os obstáculos.

 

OCEÂNDIDAS  (g) Filhas de Oceano e de Tétis, eram ninfas do ma. Em número de três mil, tinham o poder de mudar de forma. Personificavam as qualidades e atributos do mar e algumas são bem conhecidas, como Anfritite, Calipso, Climene, Doris, Europa, Metis e Urânia.

 

OCEANO (g) Filho do Céu e da Terra, tomou por esposa Tétis, deusa das águas, nascendo dessa  união os Rios e as Oceânidas. Costuma representa-se o Oceano sob a figura de um velho senta do sobre vagas e ostentando na mão um remo. A seus pés aparece um monstro marinho de forma estranha e fantástica.

 

OCÍPETA (g) Uma das três harpias. V. Harpias.

 

ODISSEU (g) Nome grego de Ulisses, rei da Ítaca, filho de Laertes e Anticléi, Celebrado na Odisséia e na Ilíada de Homero.

 

OENONA (g) Ninfa dos bosques, aproximou-se por Páris e chegou a ser sua esposa. V. Páris.

 

OLIMPO (g) A mais alta montanha da Grécia, com 2980 metros, entre Tessália e a   Macedônia. Morada dos deuses e deusas especialmente de Júpiter.

 

OLIVEIRA (g) Árvore sagrada de Atena (Minerva), que a introduziu entre os gregos.

 

ONFALE (g) Rainha da Lídia, seduziu Hércules por sua beleza. O herói, para lhe ser agradável desceu a todas as baixezas. A rainha despojou-o de sua pele de leão, vestiu-o de roupas femininas e colocou-lhe nas mãos uma roca e um fuso. Quando Hércules pôde livrar-se desse jugo, ligou-se a Dejanira, que estava destinada a ser esposa do rei Aquelus.

 

OPS (r)Designação sob a qual também era conhecida Cibele ou Réia. Outra designação era a de Tellus, porque ela regia a terra e procurava dar aos homens proteção, ajuda e riquezas. (Em latim tellus significa terra e ops, significa socorro).

 

ÓRCAMO  (g) Rei de Babilônia e pai de Leucotoe, por quem Apolo abandonou Clícia.

 

ORÉADES (g) Chamavam-se Oréades as ninfas das montanhas. Formavam o cortejo de Diana, que acompanhavam na caça e nos passeios. Dizem que foram elas que corrigiram nos homens o vício da antropofagia e lhes ensinaram a alimentar-se de plantas, castanhas e mel.

 

ORESTES (g) Filho de Climnestra e de Agamenon. Foi salvo por sua irmã Electra, quando Agamenon caiu sob o punhal homicida. Educado na corte de estrófio, rei dos focenses  cunhado de Agamenon, vingou a morte de seu pai, matando a própria mãe durante uma cerimônia num templo.

 

ORFEU (g) Teólogo, poeta e músico célebre, era filho de Eagro, rei da Trácia, e da musa Calíope. Segundo outros, era filho de Apolo e de Clio. Tomou parte na expedição dos Argonautas e visitou o Egito. Os sons melodiosos de sua lira domavam as feras que vinham deitar-se-lhe aos pés. Tendo sua mulher Eurídice sido picada por uma serpente, Orfeu desceu aos infernos para buscá-la e obteve, com a doçura a condição de seus cantos, que as divindades infernais lhe permitissem levar Eurídice, sob a condição de não de voltar para trás enquanto não houvesse transporto o limite do império das sombras. Orfeu transgrediu esta ordem e nunca mais tornou a ver Eurídice.

 

ORION (g) Que era um formoso mancebo e caçador infatigável, sobressaía entre todos os heróis de seu tempo por sua força. Diana o chamou para fazer parte de seu séquito. Morto por um escorpião, Diana foi ficou desconsolada e conseguiu de Júpiter que fosse transportado para o céu, onde ficou colocado entre os astros, formando a constelação chamada Orion.

ORITIA (g) Filha de Eriteu, foi pedida em casamento por Bóreas, o mais célebre dos deuses dos Ventos. Como Eriteu se recusasse a ceder a mão de sua filha Bóreas raptou-a e a transportou para seu reinado. De seu himeneu nasceram Calais e Zetes, Argonautas famosos, e Quione, mãe de Eumolpo.

 

OSIRIS (EG) (g) Antigo rei do Egito, dedicou-se a melhorar os costumes selvagens de seus súditos, ensinou-lhes o cultivo dos campos e deu-lhes sábias leis. Quando pensou que sua obra estava terminada, entregou a administração dos assuntos de governo a sua esposa Isis, e, acompanhado de seu filho Horus, foi estendendo aos demais países os benefícios da agricultura, as leis e a região. Visitou a Etiópia, a Arábia e a Índia, fazendo-se amado e admirado por toda parte. Tifon, seu irmão sequioso de poder, matou-o arrojando seu corpo ao Nilo. Isis, querendo dar sepultura ao corpo de seu esposo, partiu em busca de sua cadáver, e, após muitas buscas, foi encontrá-lo em Biblos, cidade da Fenícia, para onde as ondas o haviam carregado. Isis para vingar a morte de Osíris, reuniu um exército contra Tifon, que foi vencido. À sua morte, os egípcios elevaram-na à categoria de deusa sob a figura de uma vaca e lhe deram o título de mãe de todas as coisas e de deusa Universal. Para os egípcios Osiris é o Sol e Isis a Lua.