Meu amigo

                               Muriel Elisa Távora Niess Pokk

Todas as manhãs

Você está a me esperar,

E mesmo que eu demore

Você fica a me aguardar.

Fica sob a chuva

E sob o sol também,

Às vezes até “machucado”,

Sem reclamar porém.

 

Vamos juntos trabalhar,

Nem eu mesmo sei porquê

Se outro vem me acompanhar

Só me lembro de você.

Você meu amigo,

Que dano não me causou,

Esquecer não consigo

Que nunca me abandonou.

Nos dias de chuva

Você me protegeu

E no tempo de frio

Sempre me aqueceu.

Nas noites escuras

Meu caminho iluminou,

Livrando-me dos perigos

Em seu seio me guardou.

Mesmo quando “doente”

Nunca me deixou na mão,

Ainda dizem que você não sente,

Que você não tem coração.

Gosto de presentear

Você meu companheiro,

E deixo que fiquem a falar

Que eu só sei gastar dinheiro.

Pois você merece,

Eu o conheço de cor,

Olhando não parece,

Mas de todos, é o melhor.

Ninguém quer compreender

E me perguntam  criticando:

“Se de você, um dia, vou me desfazer,

Por que o continuo enfeitando?”

Não ligo, enfeito sua carinha,

Com pára-brisa e lanterna nova.

Você é mesmo uma gracinha,

Forte, vence qualquer prova.

Em você eu me amarro,

E a todos eu proclamo:

Você é meu doce carro,

Que há tanto tempo eu amo.

Registrado em cartório